Semascri promove ações para o Dia Estadual de Mobilização pelo Fim da Violência e Exploração Sexual Infanto-Juvenil PDF Imprimir E-mail
Qua, 09 de Novembro de 2011 17:52

Para marcar o Dia Estadual de Mobilização pelo Fim da Violência e Exploração Sexual Infanto-Juvenil – 24 de setembro -, a Secretaria da Assistência Social, da Criança e do Adolescente (Semascri), por meio do Serviço de Proteção e Atendimento Especializado às Famílias e Indivíduos (Paefi/Sentinela), realiza duas ações. Um seminário, com o tema “Enfrentando a Violência contra crianças e adolescentes: percepção e conceitos do fenômeno”, e uma capacitação ocorrem nesta sexta-feira, dia 23.

O seminário será ministrado para cerca de 400 pessoas, das 8h ao meio dia, pelo Dr. Ayrton Margarido. O profissional é graduado em Medicina e sua atuação é centrada em famílias em situação de risco, especialmente os grupos vulneráveis de crianças e adolescentes vítimas de violência intrafamiliar. O mesmo também é escritor, com destaque para o livro O muro do silêncio: a violência doméstica contra a criança e o adolescente.

A capacitação ocorre durante a tarde, das 13h30 às 17h, também como o Dr. Ayrton Margarido. Participam dessa ação em torno de 35 profissionais, tanto da Semascri que atuam com famílias envolvidas em situações de violência doméstica e contra crianças e adolescentes, bem como os profissionais da Secretaria de Saúde que atuam no Serviço de Atenção Integral às Pessoas em Situação de Violência. profissionais participarão desta ação. As temáticas que serão trabalhadas são: discussão e/ou simulação de casos; aplicação dos fundamentos éticos e legais; enfrentamento do fenômeno dentro das práticas diárias; e a formação/fortalecimento das redes de proteção.

Este evento tem como objetivo capacitar trabalhadores da Política de Assistência Social, dos serviços que compõem o Protocolo de Atenção às Pessoas em Situação de Violência Sexual, conselheiros municipais, acadêmicos, entre outros, sobre a temática da violência contra crianças e adolescentes. Para o secretário de Assistência Social, Mário Hildebrandt, estas capacitações são de suma importância para os profissionais. “A violência contra crianças e adolescentes é uma temática delicada e importantíssima nos serviços da Política de Assistência Social. Portanto, essas capacitações são de extrema relevância, pois proporcionam ainda mais qualificações aos profissionais que atuam dentro dessa área”, destaca.

O seminário e a capacitação serão realizados no Auditório do Viena Park Hotel, localizado na rua Hermann Huscher, n° 670, bairro Vila Formosa.



Sentinela
O Sentinela é um Serviço de Proteção Social de Média Complexidade, voltado às crianças e adolescentes vítimas de violência física, sexual e exploração sexual, bem como suas famílias. É realizado no âmbito do Centro de Referência Especializado de Assistência Social – CREAS. Sua organização está em conformidade com as garantias constitucionais: Lei Orgânica da Assistência Social (LOAS), Política Nacional de Assistência Social (PNAS), Tipificação Nacional de Serviços Socioassistenciais, Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e os Planos Nacional e Estadual de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes.

Tem como objetivo desenvolver um conjunto de ações articuladas à rede de serviços, voltadas para a prevenção e o enfrentamento à violência infanto-juvenil. Procura romper o ciclo da violência; possibilitar maior autonomia, protagonismo e acesso às políticas públicas. É desenvolvido no âmbito da proteção social especial de média complexidade, atendendo famílias em situação de direitos violados, mas, com preservação dos vínculos familiares e comunitários. Estabelece uma metodologia que contempla a análise e o conhecimento do fenômeno da violência; o atendimento especializado através de equipe interdisciplinar e, em rede; a prevenção/mobilização dos serviços socioassistenciais para a proteção das famílias encaminhadas, bem como, o estímulo ao protagonismo juvenil.

No mês de agosto foram atendidas pelo Sentinela 362 crianças e adolescentes com medida de proteção, sendo 336 famílias, totalizando, aproximadamente, 1.008 pessoas. Das situações encaminhadas, quanto ao tipo de violência observa-se o seguinte número: violência física - 106; violência sexual - 229; exploração sexual - 06.

 

S5 Box