Fórum de combate à violência doméstica reúne especialistas e comunidade

O dia 25/11 é marcado todos os anos por eventos, campanhas e debates ao redor do mundo sobre a problemática social da violência doméstica, fenômeno ainda silenciado por uma cultura de preconceitos e falta de amparo.

Em prol desta causa, o Senac Itaquera e o Senac Penha, com o apoio das Redes Sociais, organizaram um fórum para discutir o assunto, no CEU Aricanduva (Centro Educacional Unificado) com a participação de alunos, organizações sociais e a comunidade. Aprofundando o tema, o Dr. Ayrton Margarido, médico e especialista em Violência Doméstica, ministrou a palestra Rompendo o Muro do Silêncio Familiar, em que abordou a relação do poder intrafamiliar, as violências físicas e psicológicas contra mulheres e crianças, seus riscos e consequências.

Para o debate sobre o tema, o público também contou com a presença de outros  especialistas como o advogado Dr. Júlio César Konkowisk, o capitão da Polícia Militar, Nelson Mazza, o economista e gerente da unidade Santo Amaro, Sérgio de Oliveira, a assistente social, Márcia Cassiana Rosa, todos sob a mediação de Tânia Monteiro, funcionária do Senac Penha.

Segundo os organizadores, o evento foi um sucesso já que o assunto foi levantado e discutido por um número expressivo de pessoas que devem disseminar a conscientização sobre a Cultura de Paz.

Maria de Fátima de Brum, gestora do CEU Aricanduva, destacou a mudança para uma nova postura. “Esse evento traz famílias e sociedade para mudar a cultura de violência do país. Somente através da educação e da chamada da comunidade para a mudança é que haverá transformação”.

Segundo o aluno do Programa de Aprendizagem para o Comércio, Lucas Henrique, este tipo de evento “é bom para conscientizar as pessoas. A gente sai da palestra querendo espalhar o tema contra a violência e exploração infantil”.

Clique aqui e confira as fotos do evento.

 

S5 Box